Hills Have Eyes

SOURCE – Antebellum é o terceiro álbum da banda com mais de dez anos de fundação. O que esse novo álbum representa para a banda?

Luis Silva (Bass) – Antebellum representa uma nova fase na vida de Hills Have Eyes e para nós é claramente o trabalho mais importante da banda até á data, não só a nível musical, onde procurámos seguir uma caminho diferente do álbum anterior “Strangers”, mas também porque contámos com a colaboração dos nossos fãs (através de um crowdfunding) que acreditaram em nós desde o inicio e compraram o disco antes de este sequer existir.

Ficamos extremamente satisfeitos com o resultado final pois todos nós sabíamos que tínhamos que dar o nosso melhor e fazer um disco á altura da confiança que nos foi depositada pelos nossos fãs, a quem aproveito para agradecer uma vez mais, porque sem eles Antebellum continuaria a ser só uma ideia.

SOURCE – Como foi o processo de gravação e produção do álbum Antebellum?

Luis Silva (Bass) – Foi um longo processo, passamos muito tempo em estúdio com o nosso produtor Vasco Ramos a trabalhar nas musicas detalhadamente para garantir que tudo ficava perfeito. Gravámos o disco no Poison Apple Studios com nosso grande amigo e técnico de som Tiago Canadas e foi misturado e masterizado no Studio Fredman por Fredrik Nordstrom e Henrik Udd.

SOURCE – Se eu não estou enganado Antebellum foi concebido através de um crowdfunding. Qual a relação entre a gravadora Hellxis Records?

Luis Silva (Bass) – Sim, como referi em cima, fizemos um crowdfunding que cobriu parte dos custos do álbum e já numa fase
posterior com o disco acabado chegamos a acordo com a editora portuguesa Hellxis Records para distribuição do disco.

SOURCE – Como está sendo feita a divulgação do álbum? Algum vídeo promocional?

Luis Silva (Bass) – Essencialmente através das redes sociais e concertos ao vivo, temos um video do tema The Bringer of Rain que pode ser visto no youtube. O álbum pode ser ouvido no spotify e pode ser comprado através do iTunes em todo o mundo.

SOURCE – É viável financeiramente ter uma banda como o Hills Have Eyes considerando a economia portuguesa atual?

Luis Silva (Bass) – Em Portugal infelizmente não existe mercado para bandas com a de sonoridade de Hills Have Eyes mas felizmente continuam a haver sempre pessoas que vão aos concertos e compram merchandise que nos fazem acreditar que vale a pena lutarmos pelo nosso sonho. A nossa meta como banda sempre foi nos divertirmos com o que fazemos e fazer chegar a nossa musica ao máximo numero de pessoas porque ao fim do dia não existe recompensa maior que veres pessoas com t shirts da tua banda a cantar as tuas musicas com um sorriso na cara.

SOURCE – Em uma entrevista o pessoal do More Than A Thousand falou muito bem de vocês, daí o interesse. Que bandas novas do cenário português você destacaria?

Luis Silva (Bass) – Temos muitas boas bandas e músicos cá em Portugal de vários estilos, assim de repente posso destacar os nossos grandes amigos Ash is a Robot, Devil in Me, the Year; os Emma que estão a começar agora mas são muito bons músicos; o nosso amigo do Hip – Hop o grande Branco e os Ninja Kore com quem o nosso vocalista Fabio Batista também toca.

SOURCE – Tenho notado que a banda está investindo em um merchandise bastante diversificado. Como está sendo a aceitação desse material nos shows e lojas especializadas?

Luis Silva (Bass) – Felizmente o nosso merchandise tem uma grande aceitação e tentamos ter sempre bastante escolha e novidades para todos os gostos. Temos a felicidade de estarmos rodeados de pessoas talentosas e temos o prazer de ter como amigo o grande Filipe Survival que desenha grande parte das nosso merchandise.

SOURCE – Qual a visão que vocês tem do cenário atual brasileiro e da receptividade do país para esse tipo de música?

Luis Silva (Bass) – Conhecemos algumas bandas brasileiras e pelo vamos acompanhando através das redes sociais notamos que há  uma grande receptividade no Brasil para este tipo de musica. Segundo o Facebook o Brasil é o 5º pais onde temos mais fãs e
gostaríamos muito de ir ai tocar num futuro próximo.

SOURCE – Algum desejo de vir ao Brasil para uma tour?

Luis Silva (Bass) – Claro que sim, como disse anteriormente o nosso objectivo é fazer chegar a nossa musica ao maior numero de pessoas e até agora só tocámos em países da Europa, seria um prazer enorme fazer uma tour no nosso pais irmão.

SOURCE – Espaço adicional para considerações finais.

Luis Silva (Bass) – Gostariamos de agradecer á SOURCE webzine pelo convite, a todos os seus leitores e a todos os fãs brasileiros de Hills Have Eyes.

Link:
Hills Have Eyes

Video: