MX

SOURCE – Re-Lapse é o novo álbum da banda apresentando releituras dos maiores clássicos da banda. Como foi feito o processo de produção do álbum?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – O Re-lapse é um álbum que eu pessoalmente já queria fazer, antes mesmo da volta do MX, quando voltamos em 2012 ficou claro que seria algo viável e que a mídia e o público de uma certa forma também gostariam de ter acesso a este material e ver como ficariam as músicas antigas com uma gravação melhor. A produção foi feita pelo MX e pelo Roberto e Rafa do Estúdio 44, procuramos não modernizar tanto os sons e timbres de guitarra para ter uma veia mais old school, acho que conseguimos um grande resultado.

SOURCE – É inegável a qualidade do material lançado em Re-lapse. A banda está preparada para lançar novos álbuns?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – O Re-lapse eu considero um álbum corajoso, pois voltar com a banda e não ter medo de mostrar as músicas de 26 anos atrás precisa ter um pouco de confiança e coragem, pois não mudamos as músicas, são as mesmas que fizemos com 16, 17, 18 anos de idade…

O MX está totalmente focado na composição de novas músicas para o próximo álbum de inéditas que pretendemos gravar em 2015. Podem esperar um MX atual,vamos gravar o melhor disco de nossas vidas, posso afirmar.

SOURCE – Alguma previsão de video para divulgação do Re-Lapse?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Temos o vídeo da música Dark Dream (original do LP Simoniacal de 1988) e está música faz parte do álbum Re-lapse, cogitamos fazer um novo vídeo mas ainda estamos estudando se será com uma música do Re-lapse. Mas alguma coisa vamos fazer sim, video clipe é uma de nossas pautas.

SOURCE – O MX tem tocado muito pelo Brasil nos últimos anos. Como estão os preparativos para os shows de divulgação do álbum? Previsão de shows para o nordeste?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Sim, o MX vem fazendo grandes shows, participando dos principais festivais nacionais, e temos tido ótima repercussão e aceitação do público que nos apoia sempre. Este ano foi um pouco atípico com uma menor quantidade de shows, mas estamos ai já com grandes eventos confirmados. Nada marcado no Nordeste, aliás estamos querendo fazer mais show por aí, aguardamos contato dos produtores.

SOURCE – Como estão os preparativos para o lançamento do DVD?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – O DVD é um caso a parte, pois a ideia inicial foi de um produtor independente em lançar um documentário com um pouco da história do MX contando o retorno, imagens de shows, etc e por isso estamos coletando a maior quantidade de imagens e informações possíveis, não temos sequer previsão, mas vai ser lançado com certeza e será um grande material.

SOURCE – Os dois primeiros lançamentos do MX tiveram uma boa receptividade na Europa. Há alguma previsão deles receberem um lançamento por lá?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Sim, o MX mesmo depois de mais de duas décadas ainda possui seguidores e um certo nome na Europa. Recentemente fomos citados pelo Ghost como uma influência do Brasil, que é uma banda relativamente nova, e isso nos deixa muito felizes mostrando que nada do que fizemos foi em vão. Estamos sim em negociação com um selo que nos procurou para lançar o Simoniacal, Mental Slavery e o Re-lapse na Europa, este ano ainda deve estar saindo por lá.

SOURCE – O MX tem uma área de merchandise a ser explorada. Como a banda está se programando para disponibilizar novos acessórios aos fãs?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Sim, está é uma falha em nossa estrutura ainda, necessitamos de uma loja virtual para vender merchandise ao nosso público que é sempre fiel e apoia o MX e a cena, tudo demanda tempo e investimento, estamos cheios de prioridades, falta tempo pra fazer tudo, mas vamos profissionalizar a venda de nosso merchandise para atender ao público da melhor maneira possível.

SOURCE – É mais fácil divulgar uma banda nos dias atuais que no inicio da carreira do MX?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Sim, é bem mais fácil divulgar uma banda hoje, porém a importância hoje que o público dá é menor, pois a quantidade de informação e de novas bandas é absurda, ninguém consegue perder muito tempo com uma única informação se aprofundando nela, é muito dinâmico, a competição é grande, a grande maioria das pessoas nas redes sociais por exemplo se conectam com intenção de divulgar algo próprio, e o interesse em conhecer algo alheio não é tão grande assim. Eis a grande dificuldade, e a seleção natural continua… somente os melhores ou mais estruturados alcançam algo a mais.

SOURCE – Além do MX e Necromancia, alguma outra banda que dividiu o lançamento Headthrashers Live continua na ativa?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Não, as outras bandas infelizmente não estão na ativa.

SOURCE – Algo mais a ser acrescentado?

Alexandre Cunha (Vocais, bateria) – Gostaria imensamente de te agradecer pela oportunidade e dizer que o underground precisa muito deste tipo de espaço. Aos fãs agradecemos sempre o apoio, vocês foram imprescindíveis para o retorno e manutenção do MX na ativa novamente, posso dizer que não vamos desapontá-los. Adquiram o álbum Re-lapse que vale a pena e aguardem o novo de inéditas! Obrigado Bangers!

Link:

MX