Shadowside

SOURCE – Até o momento “Inner Monster Out” é o disco com maior repercussão na carreira profissional da banda. Qual a importância do álbum para o desenvolvimento da carreira da banda?

Dani Nolden (Vocals) – O “Inner Monster Out” foi um tipo de divisor de águas pra nós, em todos os sentidos possíveis. Nós demos um salto muito grande no “Inner Monster Out” com relação aos álbuns anteriores. Não que os outros não fossem do nosso agrado, mas foi no “Inner Monster Out” que atingimos exatamente aquilo que estávamos buscando e foi o primeiro trabalho que tivemos a oportunidade de realmente compor como uma banda. Eu acredito que o sucesso do dele veio justamente por causa dessa composição espontânea, orgânica que o álbum teve. Estávamos tocando exatamente aquilo que gostávamos e acho que isso ficou claro para os fãs. Agora, no “Shades of Humanity”, mantivemos essa mesma maneira natural de compor, mas sentimos que o novo álbum é ainda melhor que o “Inner Monster Out” e novamente conseguimos dar aquele salto, provavelmente porque estamos mais maduros como banda e já perdemos o medo de deixar a música fluir na direção que for.

SOURCE – Em 2015 o baixista Magnus Rosén entrou para a banda. Qual o know how que ele trouxe para a banda? Podemos dizer que houve uma evolução na carreira profissional da banda?

Dani Nolden (Vocals) – Sim, houve uma evolução com certeza. Nós temos buscado um profissionalismo cada vez maior e uma das melhores formas de atingir isso é trabalhando com pessoas experientes. O Magnus trouxe a experiência do trabalho dele com o Hammerfall, que envolveu diversas turnês mundiais, discos de ouro, indicação ao Grammy sueco, além dos inúmeros trabalhos solo e as gravações que fez com outros artistas. Ele é completamente seguro musicalmente, na minha opinião é um dos melhores baixistas do mundo. Trabalhar com ele é uma honra, porque mesmo com toda essa experiência, ele é um dos músicos mais tranquilos e fáceis de se lidar que já tivemos a oportunidade de ter na Shadowside e tem um espírito de grupo incrível. Ele “vestiu a camisa” da Shadowside da mesma forma que eu, o Fabio e o Raphael.

SOURCE – “Shades of Humanity” será lançado neste mes pela gravadora do Dave Ellefson (Megadeth) EMP Label Group. O que você poderia falar sobre o álbum?

Dani Nolden (Vocals) – Exatamente, será lançado nos EUA e Europa dia 28 de julho pela EMP Label Group, no Japão dia 26 de julho pela Spiritual Beast e no Brasil dia 04 de setembro pela Furia Music Records. “Shades of Humanity” é provavelmente o álbum mais pesado da nossa carreira, além de ser bastante carregado com relação aos temas, que são profundos, um tanto polêmicos, mas que são coisa que vivemos todos os dias, abordando todas as nuances dos nossos valores morais e do que significa a humanidade. A música reflete bem essa temática pesada, porque está intensa. Porém, mesmo com todo esse peso, mantivemos nossas melodias marcantes, procuramos dar bastante atenção ao equilíbrio entre o peso, a energia e a musicalidade, mantivemos a música direta, mas com arranjos mais elaborados, especialmente as harmonias de vozes, dobras de guitarras e linhas de baixo. O álbum, pra mim, é a evolução do “Inner Monster Out”, com toques modernizados e amadurecidos dos trabalhos anteriores. Foi muito legal trabalhar nele e eu acho que sintetiza bem tudo que as pessoas conhecem como Shadowside.

SOURCE – A produção de “Shades of Humanity” foi feita por Fredrik Nordström e seu assistente Henrik Udd. Como foram os dias (e noites) no Studio Fredman?

Dani Nolden (Vocals) – As noites foram meio estranhas pra nós brasileiros, porque gravamos no verão sueco e as noites são bem curtas por lá nessa época, não chega a anoitecer completamente, então a insônia foi companhia constante (risos). O clima foi bem tranquilo o tempo todo. Gravamos em apenas 20 dias porque o trabalho fluiu muito bem, mesmo com algumas coisas que deixamos pra compor quando entramos no estúdio. O Fredrik e o Henrik sabem bem como extrair o melhor de todos os músicos, então eles fazem com que a gravação seja um processo leve.

SOURCE – Daniel Stilling é um diretor dinamarquês talentoso bem conhecido do público brasileiro pela sua participação na banda Avalon. Como foi feito o contato com o Daniel Stilling para a produção do novo vídeo?

Dani Nolden (Vocals) – O Daniel é muito amigo do nosso baterista Fabio há muitos anos, desde a época em que o Daniel morava no Brasil. Eles já conversavam há muito tempo sobre um vídeo para a Shadowside, e o Daniel é um diretor de fotografia extremamente competente, ele mora nos Estados Unidos já há algum tempo e alguns trabalhos dele incluem o filme Perdido em Marte e o seriado Criminal Minds. Ele apresentou algumas ideias que eram mais que um videoclipe, ele criou um curta-metragem, com uma história fantástica sobre sobrevivência e superação, que é o tema central da música “Alive”, que é a música do videoclipe. “Alive” é uma música sobre depressão e sobre a luta para permanecer vivo, e o Daniel criou quatro histórias de sobrevivência, onde cada um de nós é um ator representando os elementos fogo, água, terra e ar, brigando pela vida de alguma forma. O filme ficou simplesmente maravilhoso, a fotografia é incrível, o resultado desse trabalho vem de uma equipe excelente que o Daniel reuniu, e junto com ele, se dedicou demais durante 3 dias em Orlando, Florida (EUA) para fazer isso acontecer. Foi uma experiência e tanto! Tivemos muita sorte de poder contar com a competência do Daniel e de toda a equipe nesse videoclipe.

SOURCE – Como é feita a logística para ensaio e shows da banda, considerando que três integrantes do grupo estão no Brasil e Magnus Rosén está na Suécia?

Dani Nolden (Vocals) – Como não ensaiamos para gravações, já que mudamos muita coisa na hora, isso não foi um problema. Pelo contrário, o fato de o Magnus já estar lá ajudou muito! Quando começarmos a turnê, vamos nos reunir uma ou duas semanas antes onde a turnê for começar para ensaios todos os dias, provavelmente, então não vai ser tão complicado, ele só vai ter que vir para o Brasil um tempinho antes, ou nós vamos ter que ir pra lá um pouco antes. Alguns ensaios e vamos estar prontos para a estrada!

SOURCE – Atualmente quais são as principais dificuldades enfrentadas pela banda?

Dani Nolden (Vocals) – Aqui no Brasil, a falta de um circuito de shows. Lá fora, é mais fácil organizar turnês, pois shows de segunda a segunda são comuns. Aqui isso é mais complicado, a maioria dos organizadores precisa que os shows sejam no final de semana e isso deixa os custos de viagens bem mais caros. Não é raro que seja mais caro pra nós ou para os organizadores fazer shows aqui dentro do Brasil do que fazer uma turnê no exterior, porque mesmo uma passagem aérea sendo mais cara para um país europeu, esse custo fica dividido por 20, 30 shows. Aqui é preciso dividir quase o mesmo valor em 2, 3 eventos apenas. Isso tem nos impedido de tocar em diversos lugares que gostaríamos de tocar, mas vontade não falta!

SOURCE – Algo mais a ser acrescentado?

Dani Nolden (Vocals) – O teaser do videoclipe da “Alive” já está no nosso site oficial em www.shadowside.net, e vai ser lançado oficialmente dia 17 de julho. Espero que vocês curtam, fiquem de olho no lançamento do álbum dia 04 de setembro no Brasil e nos vemos na estrada!

Contact:
Shadowside

Videos: