Siriun

SOURCE – Eu sempre recebo material promocional de bandas brasileiras vindo do Exterior e a maioria delas realmente não chega a ser tão impressionantes como In Chaos We Trust. Parabéns pelo lançamento do álbum! O que você poderia nos falar sobre o álbum?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Muito Obrigado! Fico muito feliz pelos elogios! ‘In Chaos We Trust’ é o primeiro album da Siriun. Ele é o ponto culminante de um longo processo necessário para que eu pudesse materializar a obra que eu tinha em mente e com a qualidade que eu almejava, tanto em termos muscais quanto de produção.

Ele não tem um estilo definido, é uma mistura de metal moderno, death, thrash, groove, progressivo e passagens acústicas de violão. Embora não seja exatamente um album conceitual, as letras seguem uma certa ordem de acordo com o conceito elaborado na faixa título: De um estado caótico, tende a surgir uma ordem. As primeiras músicas tratam do estado caótico vivido em nossa sociedade, já as últimas abordam temas com conteúdo de uma consciência mais elevada. Como se estivéssemos num ponto de transição para um novo nível de consciência.

SOURCE – Embora a Freeman Promotions tenha enviado o material promocional da banda como Independente, fiquei em dúvida sobre o fato. Ainda não há nenhuma gravadora responsável pelo lançamento do álbum?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Ainda não há nenhuma gravadora responsável. Fazemos tudo de forma independente, mas estamos abertos a propostas caso apareçam.

SOURCE – Observei que a capa foi feita por Niklas Sundin. Masterização por Alan Douches. Isso demonstra um cuidado profissional acima da maioria das bandas nacionais. Como vocês encaram o profissionalismo no cenário musical?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Tentamos entregar o máximo de qualidade em todo material que produzimos. Acho que isso é o básico a ser feito. Nos espelhamos nas grandes bandas de metal. Se você sonha em algum dia chegar perto desse nível, não existe espaço para amadorismo.

SOURCE – Niklas Sundin também assina a composição gráfica do vídeo Transmutation. Como foi feito esse contato com o artista e o que você poderia mencionar sobre o vídeo?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Eu conhecia um pouco do trabalho visual do Niklas, e quando vi o clipe de Iridium do Dark Tranquillity, soube que era exatamente o que eu estava procurando.

Entrei em contato e ele foi muito tranquilo e super profissional. No final o vídeo superou muito tudo o que eu imaginava. Ele é um artista incrível! Conseguiu captar com perfeição o conteúdo da música, que fala sobre a transmutação mental, como descrito pelo conhecimento Hermético: “A Mente (tão bem como os metais e os elementos) pode ser transmutada de estado em estado, de grau em grau, de condição em condição, de polo em polo, de vibração em vibração. A verdadeira transmutação hermética é uma Arte
Mental”.

“Transmutation” aborda o conceito alquímico de transmutação, que pode ser descrito como o processo de transformar chumbo em ouro, mas também pode ser uma analogia para a busca do perfeiçoamento individual e da iluminação espiritual.

SOURCE – No press release há menção ao baterista Kevin Talley (Six Feet Under, Daath, Suffocation, DevilDriver). Entretanto não ficou claro se foi ele que gravou as partes instrumentais de bateria ou Braulio Drumond. Você poderia nos esclarecer isso?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – A bateria do album foi gravada pelo Kevin Talley no Texas e o baixo pelo Hugo Machado que também não faz mais parte da banda. O Braulio entrou depois que o CD foi gravado, que foi quando eu comecei a procurar por músicos para completar a formação. Ele é um exímio baterista, tem tudo a ver com nosso som e não deixa nada a dever pro Kevin. Vocês poderão conferir nos nossos próximos trabalhos.

SOURCE – Musicalmente o que você acha da cena brasileira?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Temos muitas bandas de qualidade, vejo que cada vez mais, bandas se preocupando com uma produção mais profissional para suas músicas. Mas vejo poucas bandas com uma forte identidade musical ou uma característica inovadora.

SOURCE – Perspectivas para o futuro do Siriun?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Já temos perspectivas para um segundo álbum, estamos tentando viabilizar shows e estamos na luta pra entrar na “indústria” internacional do metal, que é tão difícil pra qualquer banda brasileira.

SOURCE – Paralelamente as atividade musicais, quais as outras atividades que vocês desenvolvem?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Todos nós temos nossos trabalhos diários, famílias, etc. Nada fora do normal.

SOURCE – Merchandising é uma grande fonte financeira para as bandas atualmente. Quais são os itens da banda disponíveis para a venda?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Temos alguns modelos de camisetas desenvolvidos pelo Niklas Sundin. Por enquanto temos apenas um modelo a venda no site www.siriun-merch.com.br, em breve teremos mais. Também iremos disponibilizar no nosso bandcamp (www.siriun.bandcamp.com).

SOURCE – Algo mais a ser acrescentado?

Alexandre Castellan (Vocals, Guitar) – Gostaria de agradecê-lo pela entrevista e a todos os leitores! Espero que possam conferir nosso trabalho!

Site:

Siriun

Videos: